Alckmin diz que subteto vale para funcionalismo do Executivo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou hoje que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em fixar o teto salarial do funcionalismo público em R$ 19.115,19 não atinge o funcionalismo do Executivo estadual. "No caso de São Paulo o que vale é o subteto. Não sei o que os outros poderes irão fazer, mas no caso do Executivo do Estado, ninguém receberá mais do que R$ 12.720,00, que é a linha de corte. A não ser quem obteve decisão judicial, mas já estamos no Supremo para tentar cassar essas medidas."Os servidores do Legislativo têm um outro teto, que é baseado no salário do deputado. Já os funcionários do Poder Judiciário e do Ministério Público têm um outro teto, que é 90% do teto fixado pelo Supremo Tribunal Federal. "Neste caso, a medida do STF vai interferir aqui", disse. "O pagamento dos funcionários do Executivo ? cujo subteto é R$ 12.720,00 (o salário do governador) ? já vale para o pagamento de amanhã".Apesar de o Supremo já ter informado que os ministros do STF que dão expediente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) continuarão a receber a gratificação de até R$ 5,8 mil, o governador disse que essa brecha na fixação do teto ainda não está clara. "Se o teto é de R$ 19.115,19, nada pode ultrapassar, pois é o limite máximo. Se não o teto não é esse. Por isso, acho que essa questão precisa ser melhor esclarecida."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.