Alckmin diz que SP já cortou estrutura política

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), minimizou reportagem publicada ontem pelo jornal O Estado de S. Paulo, que mostra como escritórios do governo no interior são chefiados por quadros tucanos, transformando-os em braços políticos do PSDB ou de partidos aliados. "São 14 escritórios desse tamaninho, com meia dúzia de pessoas", afirmou.

AE, Agência Estado

29 de março de 2011 | 12h00

Pelo levantamento, os escritórios da Secretaria de Habitação e da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional têm em sua maioria chefes ligados ao PSDB ou a partidos aliados. Essas representações acompanham ações nas cidades, facilitam a liberação de verbas para convênios e fazem contatos políticos com as prefeituras.

"Estão procurando dizer que o governo está gastando, colocando pessoas de vinculação partidária. Mas são pessoas extremamente capacitadas, que estão lá há muito tempo", alegou. Segundo Alckmin, antes do governo Mario Covas, havia 42 escritórios. Hoje são 14. "Só no Vale do Paraíba tinha em Cruzeiro, Guaratinguetá, Taubaté, São José dos Campos e Caraguatatuba. Covas reduziu para um." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
escritóriosSPPSDBaliadosAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.