Alckmin diz que PT tem 'DNA da violência'

O candidato do PSDB ao Governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje em Várzea Paulista, no interior de São Paulo, que o PT tem o ''DNA da violência''. O tucano referiu-se a um grupo de professores que fazia uma manifestação durante sua passagem pela cidade. "Não são (pessoas) ligadas à educação, são ligadas ao PT", disse. "Veja que quando o PT faz campanha nenhum de nós vai incomodar, porque nós não somos autoritários, não temos projeto para cercear imprensa", acrescentou Alckmin.

TATIANA FÁVARO, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 18h08

Alckmin continuou dizendo: "Somos democratas, quando eles fazem campanha nós respeitamos, mas eles têm esse DNA da violência, de querer provocar". A subsede da Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) em Jundiaí divulgou nota oficial na qual disse que o grupo de educadores protestava em Várzea Paulista por mais qualidade na escola pública estadual. "Estávamos com faixas e a manifestação era pacífica, vieram afastar a gente e tentar tirar as faixas das nossas mãos", disse a coordenadora local do sindicato, Leila Regina Casote.

"O candidato tenta vincular nossas manifestações a um cunho político-partidário, mas não é verdade". "O que estamos fazendo é alertar a população, em especial aos pais e alunos, de que o candidato, quando era governador do Estado, nada fez de bom pela educação e agora tenta passar de bom moço", acrescentou Leila.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.