Alckmin diz que PSDB deve se aproximar mais do povo

O governador Geraldo Alckmin disse que o PSDB, derrotado na eleição presidencial, deve se inspirar no PT e buscar uma maior penetração popular. "Ele (o PT) se enraizou mais. Nós temos de ter a humildade de aprender com as derrotas", defendeu Alckmin, durante o Opinião Nacional, da TV Cultura. "Faltou ao PSDB amassar barro e comer poeira. O partido tem de estar mais perto dos movimentos populares, tem de estar mais próximo do sentimento do povo para ser melhor intérprete, como partido, e melhor governo." Geraldo Alckmin defende que o PSDB deva auxiliar o novo presidente a aprovar as reformas constitucionais que poderiam levar a uma redução do chamado Custo Brasil para melhorar a confiança externa no País. "Nós temos é de diminuir as turbulências e consolidar a confiança. O que o País mais precisa é desenvolvimento, emprego, renda e trabalho. E para isso o presidente eleito precisa consolidar esta confiança para entrar nesse círculo virtuoso", conclamou. Ele aproveitou para alfinetar alguns governadores que já cobram uma renegociação das dívidas de seus Estados. "Por isso que eu disse que não é o momento para a discussão do serviço da dívida, porque você cria mais uma turbulência. Agora é hora de trazer confiança para poder cair o dólar, subir a bolsa, baixar a taxa de juros e a economia crescer."Luta internaO governo reeleito pondera que não está havendo nenhuma disputa interna dentro do PSDB pela liderança do partido e defende que ainda haverá espaço para o seu partido, apesar da confusão criada pela recente aproximação do PT com a linha social-democrata. "Eu não acredito que o PT se transforme num partido social-democrata. Eu acho que o PSDB tem um futuro pela frente, com um perfil mais progressista", sustentou. "E não vai haver nenhuma luta interna (no PSDB). Eu fico muito feliz da liderança do Aécio Neves que ganhou a eleição no primeiro turno; o Tasso, três vezes governador do Ceará, esses são orgulhos do nosso partido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.