Alckmin diz que oposição quer "precipitar" sucessão

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, continua firme na decisão de não comentar o processo sucessório no Estado. "Cada coisa tem seu tempo; a oposição quer antecipar as coisas, mas nossa primeira responsabilidade é com o governo", disse ontem, sem confirmar se será candidato. Foi uma resposta velada às críticas recebidas de políticos do PT, que condenaram o aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) à candidatura de Alckmin para a reeleição em 2002.Parecer do TSE estabelece que os vices de presidentes, governadores e prefeitos que assumiram cargo do titular podem ser candidatos à reeleição para mais um mandato, mesmo tendo ocupado a vaga pela segunda vez. Ontem à noite, o governador participou da cerimônia de abertura da 32ª Assembléia Geral da Associação do World Trade Center, no prédio do WTC, em São Paulo. Ele afirmou que o incremento do turismo dentro do Brasil poderá ser importante para a superação da crise econômica mundial agravada pelo temor do terrorismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.