Alckmin diz que não teme que CPI atinja PSDB

O governador tucano de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que não teme que a CPI, que investigará os negócios do contraventor Carlinhos Cachoeira e o seu envolvimento com políticos, empresários e funcionários públicos, possa atingir o PSDB. "Preocupação nenhuma", declarou o governador, acrescentando que "toda a sociedade está interessada em esclarecer, investigar, sem deixar dúvidas, além de punir os responsáveis".

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

24 de abril de 2012 | 13h48

Alckmin não quis comentar as denúncias de que o ex-governador tucano de Minas Gerais, Aécio Neves, tenha ajudado a prima de Cachoeira a conseguir um emprego comissionado, em Minas, a pedido do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), de acordo com reportagem de hoje do jornal O Estado de S. Paulo.

Ele também evitou comentar sobre a possibilidade de a CPI chegar ao Planalto ou ao governo federal, já que a empresa Delta, envolvida no esquema de Cachoeira, é a principal empreiteira no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Vamos aguardar as investigações", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraGeraldo AlckminPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.