Alckmin diz que não há brigas nos bastidores do PSDB

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) disse hoje que não acredita em uma briga nos bastidores do PSDB, motivado pela disputa interna para a sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002. O governador do Ceará, Tasso Jereissati, tem dito a interlocutores que não estaria contente com o apoio que o ministro da Saúde, José Serra, receberia do FHC. "Não existe racha num partido do nível ético do PSDB, que não tem donos e sim quadros e comportamento ético exemplar", enfatizou Alckmin."Não há briga entre presidenciáveis. O que há é um debate interno pelo fato do partido ter mais de um candidato." O tucano paulista acredita que o que tem ocorrido nos corredores tucanos são "divergências pontuais" superáveis. ?Democracia é dinâmica. Eu confio no povo e precisamos fazer debate de propostas?.Alckmin explicou que o partido poderá oferecer à população um debate de "alto nível". "Vamos poder saber o que o ministro (Serra) propõe ao País do ponto de vista social, econômico, modelo de Estado. Ouvir um homem da estatura de Tasso Jereissati, três vezes governador do Estado, e do Paulo Renato (ministro da Educação), o homem que fez revolução na educação", ilustrou.Alckmin participou do 17º encontro da Fundação Procon na Assembléia Legislativa de São Paulo no início da manhã. O governador também foi ao plenário da Casa para saudar os 94 deputados mirins do Parlamento Jovem, evento que reúne pelo terceiro ano jovens entre 10 a 15 anos que estão no parlamento hoje. Dos 391 adolescentes selecionados, 94 foram escolhidos por uma comissão especial da Assembléia, depois de apresentar propostas de projetos de lei em suas escolas. O projeto de implantação de cursos profissionalizantes na rede pública, de autoria de um deputado jovem no ano passado, foi apresentado pelo deputado Willians Rafael e aprovado nesse ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.