Alckmin diz que Lula é responsável pela "qualidade" dos ministros

O governador de São Paulo e candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, responsabilizou o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pelas atitudes tomadas por seus ministros, ao comentar a participação de Antonio Palocci (Fazenda) no suposto esquema da "república de Ribeirão Preto" em Brasília. "O presidente da República é responsável pelos seus ministros e a qualidade do governo é a qualidade das pessoas que o compõem", disse Alckmin, que participa de cerimônia de lançamento da pedra fundamental da fábrica da C.J. do Brasil em Piracicaba.CampanhaAlckmin adotou um discurso populista e desenvolvimentista e minimizou a estratégia do PT de ligá-lo às elites durante a campanha. "Não espero flores dos adversários e não tenho medo de cara feia; o meu compromisso é com o desenvolvimento".O governador voltou a comentar ainda a quebra do sigilo bancário de Francenildo dos Santos Costa, feito pela Caixa Econômica Federal, que é ligada ao Ministério da Fazenda. Alckmin considerou muito grave o fato e cobrou uma punição exemplar aos responsáveis. "É uma injustiça cometida contra um cidadão e é uma ameaça à sociedade", afirmou.ColigaçãoO candidato tucano disse ser "deselegante" comentar as ações do PFL, principalmente no Rio de Janeiro, mas afirmou que pretende conversar com o prefeito carioca, Cesar Maia, a quem classificou como "uma das principais lideranças do País, um político qualificado e preparado".O governador reafirmou estar surpreso quanto a seu desempenho nas pesquisas eleitorais, e admitiu que esperava iniciar a pré-campanha na casa de um dígito de avaliação, com cerca de 8% ou 9% das intenções de voto. "Começar com 20%, 21% é um piso alto no Brasil", disse. "Mas a campanha no Brasil só começa em agosto, quando o horário da novela muda", conclui o governador, que pregou "humildade e pé no chão" a partir de agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.