Alckmin diz que governo não vai tolerar invasão de terra em SP

Para governador, invasão é um desserviço à reforma agrária

Daiene Cardoso, da Agência Estado

17 de janeiro de 2011 | 15h25

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), manifestou nesta segunda, 17, preocupação com a onda de invasões promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no interior do Estado.

 

Num recado direto aos sem-terra, Alckmin disse que o governo de São Paulo "não vai tolerar" invasão de propriedade. "A invasão é um desserviço à reforma agrária porque a boa bandeira da reforma fica maculada pelas invasões de propriedade, que causam uma enorme insegurança no campo", disse hoje, durante a abertura da Couromoda, maior feira do setor calçadista do País.

 

Alckmin lembrou que a desapropriação de terras é de competência do governo federal e que cabe ao Estado oferecer terras devolutas para a criação de assentamentos rurais. "Orientei a secretária de Justiça, Eloisa Arruda, para acelerar esses esforços junto ao Poder Judiciário", afirmou.

 

Em todo o "janeiro quente", a jornada do movimento para cobrar a reforma agrária invadiu 34 áreas e três repartições públicas. "Vamos apoiar a reforma agrária, mas não vamos tolerar invasão de terra", reforçou o governador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.