Alckmin diz que ficou 'feliz' com liderança em pesquisa

Ex-governador chegou a apresentar até metade da intenção de voto em alguns cenários

Gustavo Porto, Agência Estado

01 de junho de 2009 | 10h45

O secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira, 1º, que ficou "feliz" com o resultado da pesquisa do Instituto Datafolha, publicada hoje pelo jornal Folha de S. Paulo, que o mostra na liderança da corrida eleitoral pelo governo do Estado. No entanto, Alckmin considerou ainda ser cedo para qualquer definição eleitoral. Esse assunto "será definido a partir do final do ano".

Pela pesquisa, Alckmin ampliou a vantagem na disputa, com um índice que varia de 47% a 50%, dependendo do cenário. No levantamento em que aparece a ex-ministra do Turismo Marta Suplicy (PT), Alckmin aparece com 47% contra 15% da petista.

O ex-governador de São Paulo evitou conflito com o outro aspirante do PSDB ao governo de São Paulo, o chefe da Casa Civil do Estado, Aloysio Nunes Ferreira Filho. "Eu tenho um grande afeto pelo Aloysio, mas ainda não é hora de falar sobre esse assunto. Tudo sem seu tempo."

Alckmin disse ainda acreditar que o partido terá o apoio do PMDB paulista nas eleições estaduais de 2010, mesmo com o PT tendo aprovado uma resolução na qual orienta os filiados a buscarem as bases peemedebistas em São Paulo. "Não posso responder pelo PMDB, mas é um partido que está muito próximo do PSDB no Estado de São Paulo", afirmou.

O secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo fez os comentários pouco antes da abertura do Ethanol Summit, na capital paulista, juntamente com o governador José Serra (PSDB), a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e outros políticos.

Tudo o que sabemos sobre:
AlckminpesquisaDatafolha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.