Alckmin diz que 'faltou tempo' no programa do PSDB

Na sexta-feira, senador Aloysio Nunes reclamou que nem ele nem o ex-governador José Serra foram contemplados na propaganda partidária do PSDB

Daiene Cardoso / SÃO PAULO, Agência Estado

03 de outubro de 2011 | 14h56

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), tentou justificar nesta segunda-feira, 3, o fato de a propaganda partidária de sua legenda não ter contemplado algumas lideranças, como o senador Aloysio Nunes Ferreira e o ex-governador José Serra. Por conta disso, Aloysio usou o twitter, na sexta-feira, 30, para reclamar que tanto ele quanto Serra foram ignorados pelo partido. "O diretório estadual optou por dar prioridade às lideranças regionais", disse Alckmin, alegando ainda que a propaganda do PSDB foi reduzida à metade devido a uma punição da Justiça Eleitoral e que não houve tempo suficiente para contemplar todos os tucanos.

 

Na tentativa de se reconciliar com o senador, Alckmin o elogiou e disse que Aloysio é presença "permanente" nas atividades de seu governo. "É um dos melhores senadores do Brasil", afirmou. O imbróglio, porém, só deverá ser consertado na próxima propaganda tucana. "No próximo (programa) todos estarão incluídos, prestigiados e participando do horário do PSDB", garantiu.

 

São quatro as peças publicitárias do PSDB paulista que causaram a indignação do senador. Em três delas, aparece apenas o governador comentando os projetos sociais, educacionais, de geração de emprego e de transportes do governo do Estado. Em outra, os astros são o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente do PSDB estadual, deputado Pedro Tobias. "Há quase uma década sem representação no Senado, o PSDB paulista me ignorou na propaganda política que está no ar", disse Aloysio no microblog. "A propaganda do PSDB ignora também o líder político com a trajetória e o prestígio popular de José Serra", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.