Alckmin diz que Brasil já está pronto para corte de juros

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou hoje que os indicadores da economia brasileira deixam claro que o País já pode conviver com juros menores. A tese de Alckmin considera que, com o quadro desfavorável nas principais economias do mundo (EUA, UE e Japão), o Brasil precisa se voltar para o mercado doméstico, e o governo deve trabalhar para aquecer a demanda interna. "Nesse quadro, a questão interna passa a ser mais relevante. E a redução dos juros é o único instrumento capaz de trazer desenvolvimento econômico ao País", observou o governador. E completou: "As condições já são favoráveis ao corte."Alckmin preferiu não dizer para quanto as taxas deveriam ser reduzidas, mas ressaltou que os juros são o grande desafio para a criação de empregos e o desenvolvimento econômico. Citando palavras do governador Mário Covas, morto em 2001, Alckmin disse que é preciso ter coragem para tomar medidas em defesa da moeda, mesmo que sejam amargas. E é preciso a mesma coragem para agir rápido, baixar os juros e fazer a economia crescer. O governador não escondeu seu orgulho sobre os resultados da pesquisa suíça, elaborada pelo International Management Development Institute, que colocou o estado como a 13ª economia mais competitiva do mundo, à frente de, por exemplo, da Itália, da Coréia, da Índia e do próprio Brasil. "O resultado é importante para a auto-estima dos paulistas e mostra o quanto nós avançamos em infraestrutura, logística, universidade, pesquisa, ciência e alta tecnologia", destacou.

Agencia Estado,

14 de maio de 2003 | 16h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.