Alckmin defende Serra no comando de instituto tucano

Em conversas para a composição da nova Executiva nacional do PSDB, o governador paulista, Geraldo Alckmin, passou a defender o nome do ex-governador José Serra na presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV). A tese, que surgiu pela primeira vez logo após a derrota de Serra na disputa pela Presidência em 2010, ganhou força com o aval recente de Alckmin e foi discutida anteontem, discretamente, em dois encontros promovidos por tucanos: em reunião na casa do deputado Reinaldo Azambuja (MS) e no aniversário do líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP).

AE, Agência Estado

19 de maio de 2011 | 12h00

Para os tucanos paulistas, a presidência do ITV, núcleo de pesquisas e estudos do partido, é uma forma de prestigiar Serra na composição da Executiva nacional, a ser eleita no dia 28. Alckmin e Serra voltariam ontem de Brasília no mesmo avião. De acordo com aliados, o governador pretendia sondar mais uma vez Serra sobre o tema.

A presidência do ITV, no entanto, vem sendo pleiteada para o ex-senador Tasso Jereissati (CE). Ontem à noite, Tasso reuniu-se com a bancada de senadores no gabinete de Aécio Neves (MG) para discutir o tema. "Viemos aqui trazer o pedido da bancada para que Tasso aceite a presidência do ITV. E ele aceitou a indicação. Esperamos que o nome dele seja referendado na convenção nacional", disse à noite a senadora Marisa Serrano (MS).

O senador mineiro também quer a reeleição do secretário-geral, deputado Rodrigo de Castro (MG). Mas aliados de Serra dizem que, para a nova direção partidária estar equilibrada entre as diferentes forças do partido, a secretaria-geral deveria ficar com alguém do grupo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
AlckminSerrainstituto tucano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.