Alckmin defende investigação antes de punir Arruda

A expulsão do senador José Roberto Arruda (PSDB-DF), sem que esteja devidamente apurada sua culpa no episódio de violação do painel do Senado, seria um ato de farisaísmo na opinião do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, referindo-se ao caráter hipócrita que o ato poderia representar sem que as investigações estejam concluídas. Alckmin destacou que a expulsão por si só não encerra a questão. "Trata-se de um episódio deplorável que precisa ser apurado rapidamente", disse, assegurando que Arruda deve ser punido caso seja comprovada a participação do senador na violação do painel durante a votação que cassou o mandato do senador Luiz Estevão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.