Alckmin defende Índio e contra-ataca investida petista

O candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, adotou na noite de hoje o mesmo tom do presidenciável José Serra e contra-atacou a investida petista sobre o postulante à vice-presidência, deputado Índio da Costa (DEM), que ligou o PT ao narcotráfico.

ROBERTO ALMEIDA, Agência Estado

19 Julho 2010 | 22h57

Assim como o candidato à Presidência, Alckmin disse ser "notória a ligação do PT com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)". "Isso é um fato", disse, após participar de encontro de sua coligação na zona norte de São Paulo, para então criticar a falta de apuração na quebra de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge.

"Mas isso (a declaração de Índio) não deve deixar de lado uma coisa muito grave - aí é uma palavra, no outro caso foi uma ação - que é a violação do sigilo fiscal cometido dentro dos órgãos do governo, da Receita Federal, em relação ao vice-presidente do PSDB", afirmou. Alckmin classificou a ação dentro da Receita como uma "ameaça a toda a sociedade" e cobrou uma resposta do Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.