Alckmin dá apoio a prisão de líderes dos invasores

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse hoje que a Polícia Federal agiu de forma correta ao prender os líderes do MST que coordenaram a invasão à fazenda da família do presidente Fernando Henrique Cardoso. "Ordem judicial é para ser cumprida e eles não deixaram o local. A democracia pressupõe direitos e deveres para todos senão vira bagunça", disse Alckmin.O governador voltou a criticar a ação do MST e destacou que a atual adminsitração foi a que mais assentou famílias. "Se há um governo que atuou nessa área foi o do Fernando Henrique, foi o que mais colocou terras à disposição da reforma agrária e o que maior número de famílias assentou: mais do que o dobro do que tudo que foi feito na história do país", afirmou Alckmin.Na avaliação do governador, a invasão foi um ato descabido e que acaba desqualificando o trabalho do MST. "Foi absurdo, um ato provocativo, prejudica a bandeira da reforma agrária", disse Alckmin. "Não sei quem está por trás disso que não contribui em nada para o bom andamento do processo eleitoral. Boas causas, como a da reforma agrária, não devem servir a esse tipo de atitude", completou.Alckmin disse ainda que a questão não deve se resumir ao declaratório, com repercussões do que uma ou outra autoridade disseram sobre o fato. "Houve uma invasão, isso é um fato concreto e merece o nosso repúdio. Ainda que o processo de reforma agrária estivesse lento, não seria essa a forma de pressionar a agilização do processo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.