Alckmin culpa juros altos pela queda na arrecadação de ICMS

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, criticou a decisão de ontem do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de não reduzir a taxa de juros, atualmente em 26,5% ao ano. "A desaceleração econômica é nítida na arrecadação mensal do ICMS", afirmou o governador, durante evento na sede do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP)Segundo Alckmin, o governo de São Paulo arrecadou R$ 38 milhões a menos do imposto estadual do que o previsto no orçamento. "Em maio, já chegamos a perdas de R$ 50 milhões", complementou. Alckmin afirmou, entretanto, que a tendência é que a arrecadação volte a subir nos próximos meses. "Enquanto isso, teremos de fazer alguns contingenciamentos", explicou, ao afirmar que, em última consequência, o governo terá de adiar investimentos previstos em algumas áreas. Sem querer se manifestar diretamente a respeito do nome de Serra para a presidência do PSDB, Alckmin elogiou o integrante da cúpula tucana. "Quem não gostaria de ter um homem da estatura política de Serra em seu partido?" O governador garantiu que o PSDB não elevará o tom de suas críticas ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva através uma participação mais efetiva do candidato derrotado à Presidência da República, José Serra, na articulação política do partido. O nome do ex-senador tem sido indicado para o cargo de presidente do PSDB, que deve ser votado em reunião da executiva nacional realizada no final do ano.Sem querer se manifestar diretamente a respeito do nome de Serra para a presidência do PSDB, Alckmin elogiou o integrante da cúpula tucana. "Quem não gostaria de ter um homem da estatura política de Serra em seu partido?"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.