Alckmin critica sem-terra e promete fazer a reforma agrária

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin disse hoje que não aceitará imposições do MST para realizar a reforma agrária. "Em São Paulo, não vamos aceitar invasões nem violência. A reforma agrária é compromisso do Estado, mas vamos fazer dentro da lei." Segundo ele, desde o início do governo Mário Covas, foram assentadas mais de seis mil famílias sem-terra no Estado, em terras arrecadadas pelo governo. "É mais do que o dobro do que já tinha sido feito." Alckmin disse que o governo acompanha com atenção a mobilização do MST para a formação de novos acampamentos, principalmente no Pontal do Paranapanema. Ele informou que o governo tem um projeto para regularizar os problemas fundiários da região. Ele considera normais as reivindicações dos sem-terra. "O que não aceitamos são atos de violência e de ofensa à lei."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.