Alckmin critica política externa de Lula

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, criticou hoje a política externa do governo Luiz Inácio Lula da Silva, em seminário sobre o tema promovido pelo PFL, partido que apóia sua candidatura. "Retrocedemos na questão do Mercosul e não avançamos na Alca", afirmou Alckmin.Ele disse ainda que o Brasil está vendo os Estados Unidos fazerem acordos bilaterais com países vizinhos, como Chile, Peru e Colômbia. "Com isso, o Brasil perde duplamente", comentou o ex-governador paulista, considerando o comércio com os países sul-americanos e com os Estados Unidos.De acordo com ele, o governo brasileiro tem de ter uma ação muito mais ousada que a atual. "Vemos uma ação ideológica atrasada na política externa", afirmou.Alckmin, aparentemente, em uma crítica velada ao presidente Lula, considerou que política é "preparo". "Tom Jobim dizia que o Brasil não é para amadores", comentou.Depois, em entrevista à imprensa, o candidato disse que "o que se vê no governo brasileiro é uma enorme ineficiência". Segundo ele, a "palavra no mundo moderno é eficiência: tributária, de logística de infra-estrutura, do próprio governo e do gasto público".O senador Heráclito Fortes (PFL-PI), coordenador de campanha de Alckmin, observou que o discurso do candidato já está começando a se voltar mais para a economia. Segundo o presidente regional do PFL no Rio de Janeiro, deputado federal Aroldo de Oliveira, Alckmin "tem de ter um discurso muito firme na área de economia". "Não vou dizer qual é, mas precisa fazer esse discurso porque anti-Lula todo o mundo é", observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.