Alckmin critica obstrução à investigação contra Palocci

O governador de São Paulo e candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou neste domingo o governo federal e o Partido dos Trabalhadores de tentarem impedir a continuidade das investigações de uma denúncias contra o ministro da Fazenda, Antonio Palocci."O que parece estranho é que o governo e o PT têm muito a esconder, porque tentam impedir, inclusive com ações judiciais, a busca da verdade, do esclarecimento", declarou Alckmin, em entrevista coletiva, após inaugurar obras de aprofundamento da calha do Rio Tietê, na capital paulista.A manifestação referia-se ao depoimento do caseiro Francenildo dos Santos Costa, o Nildo, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, na quinta-feira passada, suspenso por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), acatando liminar apresentada pelo senador Tião Viana (PT-AC).Durante os 55 minutos em que conseguiu depor, o caseiro reafirmou as denúncias feitas ao Estado de que Palocci era freqüentador da casa onde era feita distribuição de dinheiro para pessoas da chamada "república de Ribeirão", e realizadas festas com garotas de programa. O ministro nega.Alckmin se recusou, entretanto, a comentar a possibilidade de Palocci ser demitido, atitude cobrada pelo PSDB. "Cargo de ministro é de confiança do presidente da República e cabe a ele avaliar (a demissão)", declarou. "Agora, não é possível querer obstruir as investigações", acrescentou.

Agencia Estado,

19 de março de 2006 | 16h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.