Alckmin critica falhas em SP e defende agenda positiva

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve hoje nas convenções do partido em Mauá (SP) e em São Bernardo do Campo (SP), que oficializaram Diniz Lopes e Orlando Morando às prefeituras locais. Nos dois eventos, Alckmin aproveitou para criticar os sistemas de saúde municipal e de transporte público, além do acesso a vagas em creches e a iluminação pública na cidade de São Paulo. "A cidade está escura. É preciso aumentar a iluminação, de modo eficiente", disse.O candidato tucano, porém, evitou citar nomes ou acusar seus dois principais adversários nesta campanha à Prefeitura de São Paulo, o atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), e a ex-prefeita e candidata do PT, Marta Suplicy, como responsáveis por tais problemas. "Não é crítica a ninguém. A agenda é outra, de programa de governo", afirmou.Para reforçar a tese da agenda de programa de governo, Alckmin inicia amanhã uma série de seminários, a serem realizados em diferentes locais de São Paulo, que visam debater, com especialistas e com a comunidade, temas considerados importantes para a melhoria da cidade. Dentre esses temas, o ex-governador quer priorizar as questões relativas à saúde, à assistência e desenvolvimento sociais e à educação. "O objetivo é dar ênfase às necessidades da população e estar próximo do cidadão comum", disse, acrescentando que o cargo executivo é aquele que permite uma relação mais próxima entre governante e população.UniãoApesar do apoio, nos bastidores, do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ao prefeito Gilberto Kassab - o democrata assumiu a prefeitura depois que Serra deixou o cargo para se candidatar ao Executivo paulista -, Alckmin enalteceu a força dos candidatos locais, Lopes e Morando, e ressaltou o trabalho conjunto que fez com as cidades da Grande São Paulo, que abrange 39 municípios, enquanto governador do Estado. "Nós temos de ter esse enfoque metropolitano", disse.Alckmin destacou, ainda, que a história da convenção do PSDB "já é página virada" e que o foco, agora, é montar uma agenda política voltada à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.