Alckmin critica conclusões de CPI

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), contestou hoje algumas das conclusões do relatório final da CPI do Narcotráfico. O documento acusa a Polícia Civil de estar desaparelhada para enfrentar o avanço do crime no Estado, e indica a existência de falhas de comunicação entre as Polícias Civil e Militar, o que atrapalha na definição de uma política única de combate ao problema. Na opinião de Alckmin, os dois órgãos estão cada vez mais bem preparados. "Achar que a polícia não está trabalhando não é correto", disse o governador. "Na realidade, os números mostram uma ação mais efetiva." Segundo o governador, houve crescimento no número de apreensões de maconha e cocaína, entre 1999 e 2000. "No caso da maconha, isso aumentou quase seis vezes", ressaltou. Alckmin afirmou, ainda, que nunca houve uma integração "tão grande" entre as duas polícias. Como exemplo, ele citou a compatibilização - feita recentemente - entre as áreas territoriais dos distritos da Polícia Civil e das companhias da Polícia Militar. O governador, porém, afirmou que usará as conclusões da CPI para melhorar o sistema de segurança do Estado. "Todos esses relatórios servem de subsídio para aperfeiçoarmos o serviço." Hoje, Alckmin oficializou a transferência de um dos helicópteros do seu gabinete para a Polícia Civil. A doação do aparelho vai evitar que o governo gaste R$ 3 milhões para adquirir um novo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.