Alckmin contesta dados de Marta sobre transporte público

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), contestou a avaliação da prefeita ecandidata à reeleição, Marta Suplicy (PT), de que o fluxo de passageiros nos trens e no Metrô diminuiu na cidade graças àspolíticas municipais de transporte público.Marta argumentou que a reforma e a construção de novos corredores de ônibus, a substituição de veículos promovida pelaslicitações da Prefeitura e a instituição do "Bilhete Único", uma das suas principais bandeiras de campanha, teriam motivado osusuários a trocarem o metrô e trens pelos ônibus.Alckmin, que foi vistoriar obras da Linha 2 do Metrô, que será estendida até a Rodovia Imigrantes, com investimentos da ordemde R$ 559 milhões, rebateu a avaliação da prefeita com números."Em maio de 2003, transportávamos no Metrô 43,9 milhões de pessoas por mês e, em maio desse ano, o volume subiu para44,1 milhões. Em junho do ano passado, o volume de passageiros era de 38 milhões e, em junho desse ano, 42 milhões", afirmou."O Metrô nunca transportou tanta gente e isso até nos preocupa, porque no horário de pico há superlotação em todas aslinhas´" complementou.Ele criticou, indiretamente, a postura da prefeita em avaliar de forma competitiva os modais de transporte público da cidade."Os modais devem se complementar e não disputar, porque precisamos de todos bem integrados. Em muitas linhas, nósconstruímos as estações de ônibus, para haver integração com o Metrô"?, observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.