Alckmin considera como certa candidatura de Serra ao Estado

O governador Geraldo Alckmin considerou nesta terça-feira, em Araçatuba (SP), como certa a disputa do prefeito de José Serra ao governo de São Paulo ao afirmar que vai comparecer ao ato de lançamento da candidatura, "que deverá ser feito na quinta-feira".Segundo o governador, assim que chegar ao Palácio dos Bandeirantes, nesta quarta-feira, deverá receber o convite para o lançamento da candidatura do colega tucano e vai confirmar sua presença, mesmo Serra não tendo participado do lançamento da sua candidatura a presidente, no dia 15 de março."É lógico que estarei lá para prestigiar o Serra, que é um ótimo nome e está à altura para governar o Estado de São Paulo", disse. Ao deixar Araçatuba, de dentro da van, Alckmin respondeu com sinal afirmativo a pergunta dos jornalistas sobre quinta-feira como o dia de lançamento da candidatura de Serra. A visita de Alckmin fez parte da última viagem pelo interior antes de deixar o governo.Depois de inaugurar uma ala de atendimento da Santa Casa de Araçatuba, Alckmin criticou o desempenho da política econômica do governo Lula, "Um PIB de 2% é muito pouco, enquanto a Argentina conseguiu muito mais que isso", alfinetou.No entanto, Alckmin prometeu que de segunda-feira para frente, quando viajará a Brasília e assumirá de vez a campanha para presidente, fará uma campanha de alto nível, sem criticar os adversários. "Estou cansado desta disputa política. Vamos iniciar uma mudança na forma de fazer campanha política. Não vou acusar meus adversários, trocando acusações, vou pensar no Brasil", prometeu.Ao chegar ao aeroporto de Araçatuba, presenciou uma cena constrangedora para seu anfitrião, o prefeito de Araçatuba, Maluly Netto (PFL), que foi intimado pessoalmente por um oficial da Justiça a devolver R$ 680 mil aos cofres públicos. O prefeito foi condenado pela Justiça como responsável pelo bloqueio de verbas municipais durante a liquidação do Banco Interior Paulista e terá de devolver um total R$ 1,3 milhão que ficou bloqueado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.