Alckmin cobra combate à informalidade no mercado de trabalho

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) avaliou como positiva a vinculação do aumento real do salário mínimo ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) per capta, dispositivo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) aprovado ontem pelo Congresso, mas cobrou avanços no combate à informalidade no mercado de trabalho."É uma meta o crescimento do salário mínimo, mas o problema está no impacto sobre a Previdência Social", avaliou. "E o problema da Previdência está no fato de que a informalidade no Brasil está crescendo enormemente", complementou, depois de vistoriar obras do Metrô em São Paulo.O governador comentou que a carga tributária do País está demasiadamente alta e tem "empurrado" trabalhadores e empresas para a informalidade. "O trabalhador fica desprotegido, ninguém paga a Previdência e a pessoa quando chega a uma idade mais avançada tem direito ao benefício de assistência social", manifestou. "Se conseguíssemos enfrentar a informalidade, teríamos uma Previdência com mais saúde financeira e absorveríamos ganhos mais fortes do salário mínimo", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.