Alckmin cobra candidatura do PSDBO ex-governador Geraldo

Alckmin (PSDB) reagiu com cobranças ao seu partido à aliança entre o PMDB e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) para a sucessão municipal. Irritado, Alckmin rechaçou a tese de desistência da candidatura à Prefeitura de São Paulo e cobrou ontem que o Diretório Municipal marque para os próximos dias o anúncio da sua candidatura à Prefeitura de São Paulo. As críticas do tucano sobre a demora do partido em tomar decisão não são de hoje, mas atingiram o ápice ontem com a confirmação de que Kassab fechou acordo com o PMDB, partido com maior tempo de propaganda em rádio e TV nas próximas eleições. Os deputados federais que apóiam a postulação de Alckmin fizeram uma reunião de emergência, em Brasília, para discutir novas estratégias.Anteontem o ex-governador telefonou para o presidente do PSDB na capital paulista, José Henrique Reis Lobo, e pediu a ele que convocasse uma reunião do partido para deliberar sua postulação. Lobo nega e diz que ainda não há data marcada para tal discussão. Hoje, a Executiva municipal reúne-se, mas, segundo Lobo, para tratar somente da chapa dos candidatos a vereador.SURPRESAO acordo do PMDB com o DEM pegou os alckmistas de surpresa. Não por terem perdido a possibilidade de uma aliança com o PMDB para turbinar a candidatura de Alckmin, mas pelo fato de os peemedebistas não terem fechado com o PT, com quem as conversas pareciam mais adiantadas. Os tucanos já haviam tido conversas com o presidente estadual do PMDB, Orestes Quércia, mas, diferentemente do PT, não deram nenhuma garantia de indicação do vice na chapa, porque estavam esperando resolver a aliança com Kassab.Alckmistas acusaram o governador José Serra (PSDB) de ter patrocinado esse acordo entre Kassab e Quércia com o objetivo de "desidratar" a candidatura de Alckmin. Ouvir ontem de um assessor do Kassab que o acordo com o PMDB teria sido fechado pelo prefeito há três semanas também deixou alckmistas raivosos. Kassab, nas palavras desse assessor, confidenciou a ele no início do mês que o DEM teria os peemedebistas.Apesar da má notícia, os aliados de Alckmin se esforçaram ontem para não demonstrar abatimento. O discurso adotado foi o de que "as coisas não são assim tão dramáticas".TV Com o PMDB fora do jogo, Alckmin mira em outros partidos para engordar o tempo de TV na eleição. O foco agora é o PTB, PV, PDT e PSB. Com todos eles, o ex-governador já teve conversas sobre alianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.