Alckmin, autor do Código do Consumidor, não comenta revogação

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) preferiu, segundo sua assessoria, não comentar a decisão do governo federal de proibir a aplicação do Código de Defesa do Consumidor às decisões da Câmara de Gestão da Crise Enegética. Essa proibição consta da reedição da MP que criou as regras do racionamento de energia. Alckmin, eleito deputado federal em 1986, pelo PMDB, e reeleito em 1990, já pelo PSDB, foi o autor do projeto do Código de Defesa do Consumidor, durante o segundo mandato. A autoria do Código foi também uma das principais bandeiras da campanha do então candidato tucano à Prefeitura de São Paulo, no ano passado. Sem agenda pública, Alckmin dedicou o dia de hoje a audiências internas com secretários e assessores, entre eles, Mauro Arce (Energia), que também integra a Comissão de Gestão da Crise Energética (CGCE), coordenada pelo ministro Pedro Parente (Casa Civil). Além de ter que decidir se adota ou não a defesa do Código, comprando uma briga política com o governo federal - em plena fase de liberação das verbas federais para o Rodoanel - Alckmin tem outra preocupação imediata: definir quem será o titular da secretaria de Ciência e Tecnologia. A saída de José Anibal, que vai retomar o mandato de deputado federal, para ocupar a presidência nacional do PSDB, deixou o cargo vago.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.