Rafael Arbex
Rafael Arbex

Alckmin anuncia reajuste de 3,5% a servidores

Medida tem impacto de R$ 2,6 bilhões nas contas públicas do Estado de São Paulo

Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2018 | 12h36

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta quinta-feira, 4, o reajuste ao funcionalismo público do Estado de 3,5% a 7% neste ano. De acordo com tucano, mais de um milhão de funcionários vão se beneficiar com a medida, que terá impacto de R$ 2,6 bilhões nas contas públicas apenas neste ano. Trata-se do primeiro reajuste nesta gestão, que começou em 2015.

Ativos, pensionistas e aposentados de todas as categorias devem receber reajuste de 3,5%, com exceção das polícias civil, militar e científica, e dos professores, cujo reajuste será de 4% e 7%. Esta última representa, segundo o governador, 1/3 do funcionalismo do Estado. 

Citando a queda na receita corrente líquida desde 2014, o governador disse que os três últimos anos foi um “período duríssimo”. Apenas os professores vão receber reajuste acima da inflação do ano passado, que fechou em 6,29%. 

“Se você verificar com (a inflação) do último ano, claro que ele (o reajuste) é maior. Mas é evidente que existe um déficit. Por isso que eu falei: estamos iniciando a recomposição”, afirmou o governador. Alckmin fez o anúncio ao lado do presidente da Assembleia Legislativa (Alesp), Cauê Macris, e dos secretários da Educação, José Renato Nalini, e de Segurança Publica, Magino Alves.

O projeto será enviado para a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), que está em recesso. Mas, segundo o governador, o reajuste começa a valer dia 1 de fevereiro e será retroativo. 

“Esse é um esforço grande que foi feito. São Paulo, com as contas em dia, o Estado de São Paulo, pagando rigorosamente os salários, nunca houve aqui um atraso. Antecipamos o 13 (salário) para o dia 15 e agora anunciamos a recomposição salarial dentro dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou o governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.