Alckmin anuncia reabertura das Frentes de Trabalho

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) confirmou hoje que as inscrições no programa Frentes de Trabalho, criado pelo governo paulista em 1999, serão reabertas. O anúncio oficial será feito amanhã, mas Alckmin já havia antecipado a intenção de retomar o programa na terça-feira. A medida é uma das resoluções do primeiro encontro da Sala de Solução da Crise, que reuniu representantes do governo e sindicais, na última terça-feira.As novas inscrições serão reabertas para a Capital e Região Metropolitana. "Todos os prefeitos querem as Frentes de Trabalho, mas acho que a questão mais grave do desemprego está na região metropolitana e na Capital", disse Alckmin, explicando a prioridade na retomada no programa nas regiões anunciadas. A extensão das Frentes para outras cidades do Interior do estado está vinculada à arrecadação. Segundo Alckmin, cerca de 120 mil pessoas já participaram do programa.O trabalhador alistado fica empregado por um período de até nove meses, recebendo um salário de R$ 190,00 mais cesta-básica. Um dia de trabalho é dedicado a qualificação profissional. "Assim eles saem preparados para competir no mercado de trabalho", disse Alckmin. O governador participou hoje da cerimônia de entrega de obras viárias - recapeamento, drenagem e pavimentação de 12,5 quilômetros - no Jardim Yoneda, em Biritiba-Mirim, região de Mogi das Cruzes (Alto Tietê).Investimentos locais - O governo paulista investiu R$ 562 mil nas obras viárias do Jardim Yoneda, que beneficiam cerca de dois mil moradores do bairro. Alckmin aproveitou para anunciar a liberação de mais R$ 250 mil (do Fumef) para obras de infra-estrutura urbana em Biritiba-Mirim, além de mais recursos para a compra de um aparelho de ultra-som; microônibus para transporte escolar, especialmente na zona rural; uma ambulância; construção de uma creche em parceria com a Prefeitura; e novos investimentos na área de saneamento básico, no bairro Cruz das Almas.Preservação ambiental - A verba destinada para o tratamento de esgoto será definida na próxima sexta-feira após reunião do governador com representantes do governo municipal, Sabesp e secretários estaduais, entre eles o do Meio Ambiente, Ricardo Tripoli. "Biritiba-Mirim é área de manancial e só tem 30% de esgoto coletado e zero% de esgoto tratado. Vai ter investimento grande em relação a coleta e tratamento de esgoto", disse Alckmin. Também na reunião de sexta, Alckmin pretende abordar a questão das mineradoras que atuam na região.Conhecido como "cinturão verde" do Estado, pela produção de horti-fruti-granjeiros, o Alto Tietê tem lutado contra a atuação irregular de mineradoras, que prejudica a agricultura e agride o meio ambiente. "Eu percebi uma movimentação muito positiva no sentido de preservação. Vou verificar isso pessoalmente, na sexta, com o secretário Tripoli e o DPRN (Departamento Estadual de Recursos Naturais). Se as mineradoras estiverem irregulares não vão poder trabalhar. Vamos checar uma por uma as licenças ambientais", afirmou Alckmin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.