Alckmin anuncia mudanças no secretariado

O governador Geraldo Alckmin anunciou hoje o nome do novo chefe da Casa Militar. Será o coronel Roberto Allegretti, atual chefe de gabinete do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Rui Cesar Mello. Allegretti assume a secretaria no dia 29. O atual secretário, coronel Olavo Sant´Anna, fica no cargo até o dia 28. Alckmin confirmou a saída do secretário de Comunicação, Osvaldo Martins, que deixa o cargo também no dia 28, ainda sem um susbstituto definido. Também foi confirmada a nomeação do ex-vereador Gabriel Chalita (Cachoeira Paulista-PSDB) para a secretaria da Juventude. A posse de Chalita deve ocorrer em outubro. O governador já enviou à Assembléia Legislativa projeto de lei que reestrutura a nova secretaria e extingue a Secretaria de Esporte e Turismo. A secretaria da Juventude vai absorver a área de Esporte da pasta que será extinta. O segmento de Turismo será incorporado à secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico. "Ainda não decidimos, está em estudo, se a Febem vai ser transferida para a secretaria da Juventude", afirmou Alckmin. Hoje, a Febem é coordenada pela secretaria do Desenvolvimento Social.Alckmin disse ainda que mais seis secretários estaduais devem disputar as eleições em 2002, deixando o governo. Mas, destacou que não há nenhuma definição sobre a data de saída dos secretários, ou seja: se deve ocorrer entre dezembro e janeiro próximo ou no início de abril, a seis meses da eleição, conforme determina a lei eleitoral em vigor. "Não pensei nisso ainda, vou refletir sobre o assunto", afirmou Alckmin referindo-se aos prazos para que os secretários deixem os cargos.Entre os auxiliares que devem disputar a eleição estão André Franco Montoro Filho (Planejamento), João Caramez (Casa Civil), Marcos Mendonça (Cultura), Mendes Thame (Recursos Hídricos), Ricardo Trípoli (Meio Ambiente) e Walter Barelli (Trabalho). Alckmin disse que não há uma lista de substitutos. "Essa não é a preocupação do governo", afirmou o governador. Ele ressaltou que não está ocorrendo uma reforma de secretariado e que as mudanças são pontuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.