Alckmin amplia participação de Serra em propaganda

Na dianteira das pesquisas, o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, aumentou no horário gratuito as citações ao presidenciável José Serra (PSDB), num esforço para alavancar o desempenho eleitoral do correligionário, em queda nos últimos levantamentos. Na inserção exibida na noite de hoje (17), o candidato à sucessão presidencial foi citado em seis oportunidades, apresentado na maior parte delas como "parceiro" de Alckmin. A propaganda incluiu como realizações do trabalho em conjunto dos dois tucanos a construção de 310 mil moradias e de 6 mil quilômetros de malha viária em São Paulo.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 21h53

Em mais um ataque ao adversário petista, a propaganda do PSDB voltou a mostrar imagens de inserções do PT e questionar o discurso do candidato Aloizio Mercadante. Os tucanos mostraram peça em que o petista destacou avanços no tratamento de esgoto na cidade de Guarulhos, administrada há dez anos pelo PT. "Guarulhos está agora com duas estações de tratamento inauguradas, chegando a 53% de esgoto tratado", disse Mercadante. A propaganda dos tucanos alegou que as duas estações ainda estão em obras e censurou o petista pela declaração. "Dez anos de administração petista e o tratamento de esgoto é ainda apenas uma promessa", disse o locutor. "E o Mercadante ainda tem coragem de citar Guarulhos como exemplo de boa administração."

Num contra-ataque, a propaganda do PT voltou a criticar a gestão do PSDB à frente do Palácio dos Bandeirantes. "Chegou a hora de substituir 16 anos de mesmice e lentidão", disse o locutor. A inserção recorreu mais uma vez à popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Mercadante tem propostas e merece uma chance de fazer por São Paulo o que Lula fez pelo Brasil", ressaltou o locutor.

A peça destacou a participação de Mercadante no debate promovido pela "Rede TV!" e pela "Folha de S.Paulo", na quarta-feira. No evento, o candidato do PT criticou o ensino público e o investimento em metrô feito pelas gestões do PSDB. "Na televisão, é muito bonito falar. São 16 anos, gente, dizendo que vão dar qualidade de metrô à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Onde está essa qualidade?", provocou.

Os demais candidatos repetiram inserções. O candidato do PSB, Paulo Skaf, apresentou na TV um cartaz de campanha no qual estava pintado de palhaço e fez críticas duras aos eleitores que pretendem votar no candidato a deputado federal Tiririca (PR) por protesto. "Se eu pintasse a minha cara de palhaço, vocês votariam em mim?", questionou o candidato. "O que interessa mesmo é o que significa votar no Tiririca", completou. De acordo com o Skaf, uma vitória de Tiririca pode prejudicar a classe política nas eleições deste ano.

Celso Russomanno, do PP, repetiu a exibição de cenas de pessoas em más condições de vida, que teve como fundo a música "Chega", de Silvio Brito, que diz "chega de ficar calado, de ver tudo errado e só dizer sim."

O candidato Fábio Feldmann, do PV, apresentou inserção em que ressaltou o problema da obesidade no País e a postura que o governo deve adotar no combate do que chamou de "doenças do século 21". "A obesidade é um sério problema da saúde pública", destacou. "É necessário combater ainda a depressão e a anorexia."

Mancha, do PSTU, prometeu dobrar as verbas destinadas para saúde. Paulo Bufalo, do PSOL, defendeu uma auditoria pública da dívida do Estado para aumentar os investimentos em saúde. Igor Grabois, do PCB, e Anaí Caproni, do PCO, criticaram a qualidade do transporte público e a concessão de estradas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.