Alckmin adota silêncio sobre divisão no PSDB

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, classificou ontem como "perda de tempo" a discussão sobre o apoio em massa de tucanos do governo municipal à campanha do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Nos últimos dias, o ex-governador tem se recusado a repercutir qualquer declaração do prefeito sobre a divisão no ninho tucano."Não vou perder tempo com isso", disse, demonstrando irritação com o assunto. Alckmin ameaçou acabar a entrevista. Kassab tem feito reuniões com subprefeitos para pedir apoio à sua campanha. O racha no PSDB chegou à bancada de vereadores tucanos, que foram contra a candidatura de Alckmin. Agora, há quem defenda o embarque na campanha tucana, ao menos formal, e os que não aceitam. Os ânimos esquentaram ontem e cogitou-se pedir o afastamento do líder da bancada, Gilberto Natalini, o mais resistente ao armistício. Uma reunião aconteceria à noite.Alckmin fez ontem mais um seminário para a elaboração do seu programa de governo e apontou suas prioridades para a habitação. "A nossa total prioridade será a compatibilização da moradia com emprego, estudo e lazer e o adensamento populacional do centro expandido."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.