Alckmin acusa Lula de promover farra fiscal

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de promover "farra fiscal", por conta da proximidade das eleições deste ano. Segundo Alckmin, a maior demonstração desta farra está no fato de o presidente da República querer conceder reajustes salariais aos servidores públicos em índices, em alguns casos, de cerca de 100%."Por que não deram o reajuste aos servidores no ano passado? Deixaram para este ano, que é eleitoral. Em São Paulo, enquanto fui governador, demos reajustes aos servidores no ano passado e no retrasado, para não ter farra fiscal este ano", disse Alckmin, ao deixar reunião com os coordenadores do programa de governo dele, em encontro realizado na Associação Comercial de São Paulo.Segundo Alckmin, o presidente da República deveria respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal, e não se queixar desta lei, como Lula fez na semana passada, ao reclamar que prefeituras endividadas não podem receber recursos da União por causa da legislação fiscal. "Se com a Lei de Responsabilidade Fiscal, tem essa farra, imagina se não tivesse a lei. Sou totalmente favorável à lei de responsabilidade fiscal", acrescentou.Alckmin também criticou os trabalhos da Controladoria Geral da União, indicando não ser eficiente. "Se fosse eficiente, não teríamos tantos desvios como temos hoje", acusou. Ele afirmou que o programa de governo da aliança entre PSDB, PFL e PPS proporá instrumentos de prevenção ao desperdício de dinheiro público. "Um exemplo é o da compra eletrônica. Se o governo comprasse ambulâncias por meio de pregão eletrônico, não haveria o caso dos sanguessugas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.