AIEA nega ter dado sinal verde para Brasil enriquecer urânio

O porta-voz da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mark Gwozdecky, negou que a organização, ligada à ONU, tenha dado aprovação para que o Brasil ative uma usina de enriquecimento de urânio. "A AIEA ainda está em processo de completar nossa avaliação dos possíveis arranjos de salvaguardas para a usina de Resende".A declaração contradiz afirmação feita horas antes pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, de que o governo brasileiro e a AIEA já haviam chegado a um acordo sobre a operação da usina de enriquecimento em Resende (RJ). "Todos os procedimentos previstos para a visita foram completados. Isso significa que, do ponto de vista das salvaguardas internacionais, a usina está em condições de começar a operar", disse o ministro, referindo-se à visita de inspeção feita na semana passada por inspetores da AIEA. As informações são da Associated Press, citada pela Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.