AGU e magistrados voltam a se desentender

O advogado-geral da União, Gilmar Mendes, e representantes de juízes voltaram a se desentender. Um mês depois de afirmar que há um manicômio judiciário no País, Gilmar irritou a categoria ao dizer que existe uma indústria de indenizações no Brasil, configurando um estelionato por via judicial.Inconformado com as declarações, o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Cláudio Baldino Maciel, disse que Gilmar se excedeu. "Isso demonstra que ele não sabe conviver com o princípio básico que deve existir nos países democráticos, de plena harmonia entre os Poderes", afirmou Maciel.O presidente da AMB lamentou que Fernando Henrique Cardoso não desautorize o advogado-geral da União: "É lamentável que o presidente da República não tome uma decisão definitiva, desautorizando o excesso verbal de seu subordinado, toda vez que se depara com um refletor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.