AGU abrirá processo contra colaboradora de Waldomiro

A Advocacia Geral da União (AGU) e a Controladoria Geral da República abrirão, ainda esta semana, processo administrativo contra a assessora do Palácio do Planalto Ana Cristina Moraes Moreira Sena por improbidade administrativa. Ela é acusada de ter subtraído documentos públicos e de obstruir o trabalho da comissão de sindicância que apurou irregularidades do ex-subchefe de Assuntos Parlamentares do governo Waldomiro Diniz. A base do processo será a sindicância da Presidência da República, cujas conclusões foram encaminhadas hoje também ao Ministério Público e à Polícia Federal. Incursa nas penas da Lei 8.429 (improbidade administrativa) e 8.112 (Estatuto do Servidor Público), Ana Cristina pode ser demitida e pegar de 2 a 6 anos de prisão.Antiga colaboradora de Waldomiro desde que ele foi presidente da Loterj, no Rio, ela ocupava a chefia de gabinete da Subchefia de Assuntos Parlamentares desde 2003. Ana Cristina ocupa o cargo comissionado DAS-4, cujo salário é de aproximadamente R$ 5.900. Ela tirou licença do emprego quando se aproximava a conclusão da sindicância e, desde então, tem evitado aparições públicas. Esta semana, ela prestou depoimento, no Rio de Janeiro, no inquérito da Polícia Federal e na CPI da Loterj. Com o desmembramento da Casa Civil, no início deste ano, Ana Cristina migrou junto com Waldomiro para o Ministério da Articulação Política, onde está lotada até agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.