Agripino rejeita argumentos

O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), afirmou que o governo busca desculpas para o injustificável. "Desculpa de amarelão é comer barro. Só uma frase assim tão vulgar para explicar essa tentativa do governo de passar um atestado de bobo para a população", atacou."É só pegar o PIS, a Cofins e outras para verificar que o aumento da carga tributária existe. Não há argumentos contra isso." Na avaliação do líder do DEM, o uso programas como o Bolsa-Família para justificar o aumento da carga tributária é "uma audácia"."O programa pode alimentar, mas ele joga as pessoas para pobreza", afirmou Agripino. "Esse argumento é coisa de quem não anda o País e ouve os prefeitos reclamando que não têm mão-de-obra para trabalhar, pois as pessoas preferem viver da bolsa que recebem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.