Agripino: governo oferece contrapartida para aprovar CPMF

O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), informou hoje que na reunião que está ocorrendo entre o presidente em exercício, José Alencar, ministros do governo e líderes do Senado, o governo ofereceu como contrapartida à aprovação da renovação da CPMF a edição de um projeto de lei ou proposta de emenda constitucional com desoneração tributária.Segundo Agripino, esse projeto funcionaria como a PEC paralela da Previdência, que foi enviada ao Congresso em 2003 de modo a permitir que a reforma da Previdência fosse aprovada ainda naquele ano. As alterações propostas à época foram incluídas na PEC paralela. O líder comentou, no entanto, que essa PEC só foi aprovada dois anos depois, após muita pressão do Congresso. "Gato escaldado tem medo de água fria", disse. Segundo ele, as desonerações oferecidas pelo governo foram pontuais e não houve menções a impostos específicos. Agripino reforçou a posição do DEM contrária à aprovação da CPMF, afirmando que o País não vai quebrar se a contribuição for extinta.O líder disse ainda que não foi fechado acordo para acelerar a tramitação da proposta. "Por que o governo não fez um apelo para a Câmara acelerar a tramitação? O Senado tem direito de debater e o regimento será respeitado", declarou. Apesar do posicionamento, Agripino elogiou a postura do governo de vir ao Congresso negociar, pois, segundo ele, a relação entre o Executivo e o Legislativo fica "oxigenada" com esse gesto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.