Agripino: governo hesita ao defender proposta tributária

O líder do Democratas no Senado, José Agripino Maia (RN), afirmou após a reunião da oposição com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que a discussão em torno da proposta de desoneração da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento das empresas mostra que o governo "parece" não ter muita convicção sobre o que está propondo na reforma tributária. "Na primeira provocação dos sindicalistas, ele (governo) já recuou e dá uma pausa para repensar", disse Agripino Maia. Ontem, após reunião no Palácio do Planalto, representantes das centrais sindicais se manifestaram contra a proposta de desoneração e informaram que o governo iria desistir de apresentá-la junto com a reforma tributária. Hoje, ao chegar para a reunião com Guido Mantega, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, contestou as declarações dos sindicalistas, afirmando que a proposta está mantida na reforma tributária. Líderes de alguns partidos, que deixaram a reunião, também deram declaração nesse sentido. Agripino, porém, afirmou que o que o ministro Mantega disse na reunião é que o governo está sem posição definida. As declarações de Agripino aumentaram a confusão em torno do assunto. Ele defende que o governo assuma as suas propostas para que a reforma possa caminhar no Congresso. Agripino Maia lembrou que o Senado Federal já tinha aprovado uma proposta de reforma que não caminhou, por falta de liderança do governo Luiz Inácio Lula da Silva no parlamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.