Agricultores protestam contra transgênicos em Brasília

Um ato em frente de uma lanchoneteMcDonald´s, no centro da capital, marcou o primeiro dia doAcampamento Nacional contra os Transgênicos, pela Soberania doBrasil e Alimentação Saudável, que reúne cerca de 600trabalhadores ligados a movimentos sociais do campo. Depois deuma caminhada de protesto, cerca de cem manifestantes sentaramem frente à lanchonete e decidiram comer "uma farofada" noestacionamento, com lingüiça, frango, couve e farinha. "OMcDonald´s é o símbolo do que representam os transgênicos e aAlca", explicou o coordenador nacional do Movimento dosTrabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), João Paulo Rodrigues.O movimento, que ficará acampado na capital pelospróximos 34 dias, tem como objetivo pressionar o governo federala alterar o projeto de lei que pretende liberar o plantio, acomercialização e a manipulação de organismos geneticamentemodificados, os transgênicos. "O nosso objetivo é mobilizar asociedade organizada contra a liberação dos transgênicos noBrasil", resumiu Ênio Guterrez, assessor da Via Campesina Brasile um dos coordenadores do acampamento."O projeto de lei regulamentando a biossegurança noBrasil tem de atender às necessidades do povo. Por isso, aproposta tem de ouvir a sociedade e qualquer regulamentação dostransgênicos só poderá ocorrer depois de muita pesquisa,inclusive sob o ponto de vista do meio ambiente e da saúde",disse Guterrez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.