Agnelo Queiroz diz que acusações de corrupção 'não merecem crédito'

O governador do Distrito Federal disse que as denúncias envolvendo seu nome fazem parte de uma estratégia para 'chamar a atenção da imprensa' e diz que rivais tentam 'voltar ao poder'

Rafael Moraes Moura e Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2011 | 14h12

BRASÍLIA - O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), afirmou nesta terça-feira, 8, que as acusações de corrupção que envolvem o seu nome "não merecem crédito" e fazem parte de uma estratégia para "chamar a atenção da imprensa para coisas montadas".

Nesta terça, a presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF, deputada Celina Leão (PSD), deve entregar ao Ministério Público e à Polícia Federal áudio de gravação em que um lobista diz ter pago propina ao governador em 2008, quando Agnelo era diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O dinheiro seria parte de um suborno para a obtenção de licenças para um laboratório.

"Aqui eu derrotei uma organização criminosa que estava governando o DF. Essa prática se repete, podem observar em todas as denúncias, é compra de testemunha para tentar desestabilizar e tentar voltar ao poder no DF", disse Queiroz, referindo-se ao governo do ex-presidente José Roberto Arruda.

"Instalei aqui uma secretaria de transparência, e botei um bocado de empresas que estavam nessa corrupção como inidôneas. Um bocado de investigação que recai sobre essas pessoas. Essas pessoas querem continuar a mesma prática, chamar a atenção da imprensa para coisas montadas. A mentira, a falsidade, isso não prevalece", disse Agnelo, após participar de cerimônia no Palácio do Planalto.

Sobre o lobista Daniel Almeida Tavares, Agnelo disse que Daniel "era uma pessoa amiga minha". Por e-mail, o governador do DF alega que o dinheiro "foi a devolução de uma quantia concedida em empréstimo à referida pessoa (Tavares)".

 

Tudo o que sabemos sobre:
AgnelodenúnciasDFcorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.