Agnelo Queiroz diz a Lula que deixará o cargo para disputar eleição

O ministro do Esporte, Agnelo Queiroz (PC do B), comunicou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que irá deixar o governo para disputar as eleições de outubro. A intenção de Agnelo é de se candidatar ao governo do Distrito Federal. O problema, admitido pela própria cúpula do PC do B, é que o PT não abre mão da candidatura de Geraldo Magela à sucessão do governador Joaquim Roriz (PMDB).?A divisão da esquerda só nos prejudica e vamos tentar chegar a um acordo com o PT?, disse o presidente do PC do B, Renato Rabelo. Caso Magela não desista do páreo, é possível que Agnelo concorra a uma vaga na Câmara dos Deputados. Mas ele não admite oficialmente essa hipótese.A saída do ministro do Esporte será formalizada em 31 de março, prazo definido pela legislação eleitoral para a desincompatibilização dos interessados em disputar as eleições de outubro. No Palácio do Planalto, auxiliares de Lula dizem que de 7 a 10 ministros deixarão os cargos para concorrer a vagas no Senado, na Câmara e até em governos, cenário que obrigará o presidente a fazer nova reforma na equipe.O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento (PL), anunciou a intenção de disputar o governo do Amazonas, mas é provável que concorra ao Senado. Miguel Rossetto (PT), do Desenvolvimento Agrário, também falou com o presidente sobre seu plano de disputar uma vaga ao Senado. Ciro Gomes (Integração Nacional) é outro que deve deixar a equipe. Oficialmente, a informação é de que ele tende a concorrer a deputado federal, com o objetivo de puxar votos para a bancada do PSB. Na prática, porém, se Lula não conseguir atrair o PMDB para sua chapa da reeleição, Ciro pode acabar sendo o candidato a vice.Das fileiras do PMDB, os peemedebistas Saraiva Felipe (Saúde) e Hélio Costa (Comunicações) também devem sair do governo. Felipe faz articulações para ser vice do governador Aécio Neves (PSDB), candidato à reeleição. Costa está de olho na cadeira de Aécio.O ministro de Relações Institucionais, Jaques Wagner (PT), disse que pretende concorrer ao governo da Bahia. ?O presidente Lula tem outros assessores aqui e o PT, no momento, só encontra o meu nome para fazer essa caminhada?, observou. Na dança das cadeiras, o ex-ministro da Educação Tarso Genro deve retornar ao time.Nota da Redação: Esta matéria foi alterada para adequação de informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.