Agnelli diz ter relação 'muito forte' com Dilma

O presidente da Vale, Roger Agnelli, afirmou não ter problemas com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva nem com a candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff. "Nossa relação é muito forte", disse hoje na Bolsa de Nova York, após encontro com investidores estrangeiros.

LUCIANA XAVIER, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 16h39

Na semana passada, na Zâmbia, na África, Agnelli fez comentários que desagradaram tanto o PT como o PSDB, ao dizer que a mineradora seria alvo de "jogo político". Ao ser questionado sobre se poderia sair da presidência da Vale diante de uma vitória de Dilma ou mesmo de José Serra (PSDB), Agnelli mostrou-se calmo. "Não há comentários adicionais a serem feitos. Os acionistas decidem o que eles querem fazer. Se eles querem trocar (o CEO), eles trocam", afirmou o executivo, em conversa com jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.