AGENDA POLÍTICA-Senado cria CPI dos cartões; Lula vai à Europa

Na próxima semana deve ser criada aCPI exclusiva do Senado para investigar despesas com cartõescorporativos do governo. Mesmo com maioria de aliados, oambiente do Senado é mais propenso à oposição. Com o esvaziamento da comissão mista (Câmara e Senado), aoposição conseguiu que o presidente do Senado, Garibaldi Alves(PMDB-RN), se comprometesse a ler o requerimento de criação danova CPI na terça-feira. O requerimento aguarda leitura desde19 de fevereiro, segundo informou o Senado. Na comissão mista, os governistas derrubaram no voto, nestasemana, os requerimentos para convocar autoridades que pudessemprestar esclarecimentos sobre as despesas e sobre a confecçãode um suposto dossiê com gastos sigilosos do ex-presidenteFernando Henrique Cardoso e da ex-primeira-dama, Ruth Cardosovazado à imprensa. A presidente da CPI mista, senadora Marisa Serrano(PSDB-MS), chegou a decretar o fim da comissão para a próximaquinta-feira, antes dos 90 dias fixados para a comissão, masdepois disse que ainda irá avaliar. Sem conseguir convocar Dilma Rousseff (Casa Civil) na CPImista, a oposição conseguiu aprovar a convocação da ministra naComissão de Infra-Estrutura do Senado para que ela presteesclarecimentos sobre o Programa de Aceleração do Crescimento(PAC) e sobre a situação da hidrelétrica de Belo Monte (PA). Os senadores poderão, no entanto, questioná-la sobre osuposto dossiê. Dilma já admitiu que a Casa Civil fez um bancode dados que inclui o governo atual e o anterior, mas nega aautoria de um dossiê. Ela tem 30 dias para marcar a data. A posição do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) também não ficoudefinida. Ele admite ter tido acesso aos dados do chamadodossiê, mas nega ter vazado o conteúdo à imprensa. Em pelomenos uma entrevista, no entanto, ele afirmou que foi uma daspessoas que repassaram os dados. Veja a seguir os principais fatos da semana. SEGUNDA-FEIRA -- O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia, deve estarem São Paulo para definir a candidatura à reeleição do prefeitoGilberto Kassab, que disputa com o ex-governador GeraldoAlckmin (PSDB) a preferência dos tucanos. TERÇA-FEIRA -- O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), develer o requerimento de instalação da CPI dos cartõescorporativos exclusiva do Senado. -- Garibaldi também deve receber em sua residência oslíderes partidários do Senado para definir uma pauta detrabalho para a Casa. -- O relatório que altera o trâmite das medidas provisóriasdeve ser votado na terça-feira. O texto do deputado LeonardoPicciani (PMDB-RJ) já foi apresentado e um pedido de vistaadiou a votação. A oposição ainda quer discutir a utilização deMPs para aumentar os recursos de ministérios e os prazos damedidas. QUINTA-FEIRA -- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva visita Roterdã,Haia e Amsterdã, na Holanda, entre quinta e sexta-feira. Nosábado, 12, estará em Praga, na República Tcheca. NA SEMANA -- Devem depor na CPI mista dos cartões os generais JorgeArmando Félix e Alberto Cardoso, chefes do Gabinete deSegurança Institucional da Presidência nos governo Lula e FHC,respectivamente. Estão convocados também os ministros OrlandoSilva (Esporte), Altemir Gregolin (Pesca), e a ex-ministraMatilde Ribeiro (Igualdade Racial). -- Definição do presidente e relator da comissão especialda Câmara dos Deputados que vai analisar a reforma tributária.A constitucionalidade já foi aprovada na quarta-feira. O PMDBquer ocupar a presidência com Edinho Bez (SC). A relatoria estáindefinida entre Sandro Mabel (PR-GO) e Antonio Palocci (PT).(Reportagem de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.