AGENDA POLÍTICA-Lula reúne ministros e Dilma faz balanço do PAC

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva convocou os ministros para uma reunião na quarta-feira, aprimeira no ano. Marcado inicialmente para segunda-feira, o encontro foiadiado para que a Casa Civil divulgasse antes um balanço doPrograma de Aceleração do Crescimento (PAC). Na reunião ministerial, o tema principal será o desfalqueno orçamento deste ano causado pelo fim da cobrança da CPMF apartir de janeiro. A reedição da contribuição, pretendida porpartidos aliados, deve ser um dos temas do encontro. Lula também vai discutir com a equipe as principais linhasdos cortes que serão realizados no Orçamento. A intenção jádeclarada é cortar 20 bilhões de reais que, somados aosaumentos de impostos e ao esperado crescimento da economia,compensarão os 38 bilhões de reais da CPMF. Todos concordam coma necessidade das reduções, mas não em suas pastas, como jáatestaram ministros. Apesar da necessidade de reduzir despesas, Lula deve cobrardos ministros o cumprimento dos diversos projetos e programasque foram prometidos. Um balanço sobre essas iniciativas já foifeito em reuniões individuais entre Lula e ministros. De forma geral, Lula também vai recomendar que a equipe dêmais atenção aos parlamentares da base aliada para garantir asfuturas votações. A recomendação vem do ministro José Múcio,das Relações Institucionais. Também na próxima semana, em data ainda não definida, osenador Francisco Dornelles (PP-RJ), um dos relatores doprojeto de Orçamento de 2008, apresenta uma revisão dasreceitas previstas para este ano. PAC A apresentação do PAC está marcada para terça-feira, dataem que o programa completa um ano de lançamento. Outros doisbalanços foram feitos no ano passado. Na levantamento da semana que vem, a ministra DilmaRousseff (Casa Civil), apresenta, segundo sua assessoria, oandamento das ações previstas no plano e os recursos jáempenhados para cada projeto, que em geral ficam abaixo doprevisto. LOBÃO Na segunda-feira, está agendada a posse do senador EdisonLobão (PMDB-MA) no ministério das Minas e Energia comtransmissão de cargo no mesmo dia. Desde que o PMDB confirmou a indicação, surgiram denúnciasenvolvendo seu filho e suplente no Senado, Edison Lobão Filho(DEM-MA). Ele teria usado laranjas para ocultar sua participação emuma distribuidora de bebidas no Maranhão que sonegariaimpostos. Lobão Filho, que está em viagem aos Estados Unidos,retorna ao Brasil neste fim de semana e ainda não é certa suaestratégia, se assumirá a vaga do pai e em seguida pedirálicença ou se vai usar o prazo estabelecido pelo Senado paraocupar o posto. Lobão admitiu que seu filho poderá se licenciar do Senadopara responder às acusações. (Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.