AGENDA POLÍTICA-Em semana de feriado, oposição obstrui votações

O ritmo da semana será menor comoreflexo do feriado da sexta-feira santa, que na prática járeduz os trabalhos do Congresso na quinta-feira. Também colabora para a paralisia a estratégia da oposição,que pretende obstruir as votações de medidas provisórias naCâmara e no Senado, até que haja a definição de um novo ritopara a tramitação dessas medidas. A oposição consideraexcessivo o uso de medidas provisórias pela Presidência, queforça o Congresso a se dedicar a elas a maior parte do tempo. Já existe no Congresso uma proposta de emenda àConstituição que altera o trâmite das MPs, prevendo aeliminação da regra do trancamento da pauta de votações todavez que uma delas não é apreciada em até 45 dias. O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia(PT-SP), agendou reunião com os líderes partidários paradiscutir um acordo. Ele prevê que a votação de uma única MPleve de sete a nove horas com o uso da obstrução. A seguir os principais eventos da semana. SEGUNDA-FEIRA -- O presidente Lula tem encontro com o ministro deRelações Institucionais, José Múcio Monteiro, acompanhado delíderes do governo no Congresso para discutir a articulaçãopolítica. -- O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim,participa, em Washington, da reunião de chanceleres daOrganização dos Estados Americanos (OEA). Em pauta, a criseentre Colômbia e Equador. -- A Câmara prevê sessão de plenário, a partir das 16h,para votar duas medidas provisórias que obstruem a pauta: aMP-385, que trata da aposentadoria por idade do agricultoreventual, e a MP-405, que abre crédito extraordinário em favorda Justiça Eleitoral. Na terça-feira outra MP entra na fila. TERÇA-FEIRA -- O presidente Lula cumpre agenda em Campo Grande, no MatoGrosso do Sul. Visita obras do Programa de Aceleração doCrescimento (PAC) em favelas e assina ordem para início dasobras de infra-estrutura do programa. Previstas ainda aformalização do primeiro contrato do programa Caminhos daEscola, de fornecimento de ônibus escolares e a assinatura determo de doação de telecentros. -- O presidente da Câmara reúne-se com os líderespartidários para discutir um acordo sobre votação de MPs eevitar a obstrução. -- O ministro da Fazenda, Guido Mantega, deve se reunirpela manhã com a bancada de deputados do PT para discutir aproposta de reforma tributária. -- A CPI mista dos cartões corporativos vai tomar osprimeiros depoimentos nesta terça-feira. Ouve Paulo Paiva,ex-ministro do Planejamento do governo Fernando HenriqueCardoso; o procurador do Tribunal de Contas da União (TCU),Marinus Eduardo Marsico; e o representante do MinistérioPúblico junto ao TCU, Jorge Pereira de Macedo. -- O plenário do Senado tem a pauta obstruída por seismedidas provisórias, entre elas a que altera o pagamento dosbenefícios da Previdência Social. QUARTA-FEIRA -- O presidente Lula recebe o presidente da ComissãoEuropéia, José Manuel Durão Barroso. -- Na quarta-feira, a CPI ouve o ministro da ControladoriaGeral da União (CGU), Jorge Hage Sobrinho, e o ministro doPlanejamento, Paulo Bernardo da Silva. Bernardo orienta osservidores no uso dos cartões, enquanto Hage fiscaliza o uso ecuida das auditorias. QUINTA-FEIRA -- O presidente Lula deve viajar a Foz do Iguaçu (PR) paraassinatura de um acordo para a construção de um alcoolduto.Também participa do lançamento do Plano Nacional de Pesca e, emChapecó (SC), está prevista a inauguração de um frigorífico. Emseguida, visita a comunidade do Maciço do Morro da Cruz, emFlorianópolis.(Reportagem de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.