Gabriela Biló/ Estadão
Gabriela Biló/ Estadão

Agenda econômica vai pautar mandato de Pacheco no Senado

Recém-eleito, novo presidente da Casa cita reforma tributária e PEC emergencial

Pedro Caramuru e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2021 | 20h37

O recém-eleito presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), voltou a destacar, durante primeira fala à imprensa após eleição, a agenda econômica que deverá pautar seu mandato à frente da Casa, bem como a valorização do sistema de saúde pública e o desenvolvimento social. Entre as ações, Pacheco destacou reformas estruturais, observância à responsabilidade fiscal e auxílio aos vulneráveis.

“Nós não temos outra saída no Brasil a não ser fazer com que a economia cresça gerando emprego, renda e oportunidade aos brasileiros. Esse crescimento virá com a pauta das reformas necessárias ao Brasil”, afirmou Pacheco, que citou as reformas tributária e administrativa, bem como as propostas de emenda à Constituição (PECs) Emergencial, da Revisão dos Fundos Públicos e do Pacto Federativo.

Segundo afirmou o senador, “a reforma administrativa é para corrigir distorções, mas jamais demonizar servidores”. “São inúmeras as propostas que temos e tem que ser pautadas para entregar à sociedade brasileira soluções a partir do pilar do crescimento econômico'', completou.

Pacheco destacou também a saúde pública brasileira – por meio da valorização do Sistema Único de Saúde e da democratização do acesso a imunizantes contra a covid-19 – e o desenvolvimento social do País.

“Há uma camada social de pobreza de pessoas vulneráveis, necessitadas, decorrentes da pandemia ou não, mas que precisam ser assistidas pelo Estado brasileiro. Me comprometo desde agora a um trato com o Poder Executivo e com a equipe econômica do governo federal para encontrarmos caminhos possíveis de responsabilidade fiscal, observância de teto de gastos, mas sem deixar de assistir pessoas que mais precisam. Esse é o pilar do desenvolvimento social que pregamos”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.