Divulgação
Divulgação

Agenda de viagens serve para consolidar Moraes para sucessão paulista

Titular da Justiça é apontado como pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB em 2018

Pedro Venceslau e Rene Moreira, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2016 | 05h00

FRANCA - A visita do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, a Ribeirão Preto (SP), no domingo, 25, quando ele deu  declarações sobre a Operação Lava Jato um dia antes da fase que culminou com a prisão do ex-ministro Antonio Palocci, foi parte de uma extensa agenda de viagens dele pelo Estado para participar de campanhas de candidatos do PSDB e consolidar seu nome como um possível sucessor de Geraldo Alckmin. 

Filiado ao partido desde o ano passado, quando deixou o PMDB, Moraes é apontado entre os tucanos como um virtual pré-candidato à sucessão no Palácio dos Bandeirantes na eleição de 2018. 

Antes do governador decidir apoiar o empresário João Doria, Moraes tentou se viabilizar como candidato tucano à Prefeitura de São Paulo. Sua mudança de partido foi feita a tempo de o então Secretário Estadual de Segurança Pública entrar na disputa das prévias. A opção pelo nome de Moraes, porém, sofreu forte resistência interna pelo fato de ter migrado para o PSDB de última hora. 

‘Caravana’. Primeiro ministro do governo do presidente Michel Temer a fazer campanha no Estado, Moraes começou sua “caravana” pela capital. Ele esteve com Doria em um ato político na Associação dos Trabalhadores Sem Terra do Estado de São Paulo na sexta-feira, onde foi recebido por cem famílias da associação que tentam conseguir moradias na região do Parque Anhanguera. 

Em Ribeirão Preto, o ministro subiu no palanque de Duarte Nogueira, ex-presidente do PSDB paulista e ex-secretário de Alckmin. A lista de viagens inclui São José dos Campos, Santos, Guarujá, Cubatão, Jundiaí, Bauru e Araçatuba e Franca. 

Em todas as paradas o ritual é típico de candidato. Nesta segunda-feira, 26, em Franca, onde esteve acompanhado do presidente estadual do partido, deputado estadual Pedro Tobias, Moraes tomou café em uma padaria, tirou fotos com candidatos a vereador e a prefeito e fez selfies com pessoas na rua. 

O ministro também concedeu entrevistas a rádios locais nas quais atacou “os governos corruptos” que prejudicaram o País. Moraes também gravou mensagens para a propaganda política de candidatos da região e fez promessas em favor dos candidatos tucanos. 

“Vamos poder integrar o vídeo monitoramento e instalar o Detecta (sistema de monitoramento de crimes do Estado de São Paulo) em Franca para que o combate à criminalidade seja mais efetivo”, afirmou.

Em muitos locais, o ministro também é recebido por grupos que organizaram as manifestações pelo impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff. 

Tucanos dizem reservadamente que Moraes também pode ser indicado por Temer para ocupar uma vaga no Superior Tribunal Federal (STF). 

Articulações. Se optar por tentar ser candidato em São Paulo, porém, o titular da Justiça não terá um caminho fácil no partido. “As articulações para 2018 em São Paulo estão atreladas à disputa nacional pela Presidência. Os acordos terão uma visão nacional”, disse o deputado federal Silvio Torres, secretário-geral do PSDB. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.