Agência de Saúde determina venda da carteira da Interclínicas

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou hoje a alienação da carteira de planos de saúde da Interclínicas num prazo de até quinze dias. Na prática, os cerca de 200 mil clientes da operadora, que está sob intervenção desde 18 de outubro, continuam sendo atendidos.Segundo a ANS, se a companhia não vender a carteira no prazo determinado, será realizado um leilão para buscar uma compradora. Caso a venda se concretize, o dinheiro será revertido para solucionar os problemas financeiros da empresa. Se o montante não for suficiente para saldar as dívidas, a ANS dará início ao processo de liquidação extra-judicial."Quem quiser participar (do leilão) tem que garantir a mesma cobertura assistencial, a mesma faixa de preço e que não cobrem as carências já cumpridas", explicou o diretor de Normas e Habilitação de Operadoras da ANS, Alfredo de Almeida Cardoso, garantindo que a agência vai procurar resolver a situação dos beneficiários da operadora em um mês."O consumidor deve ficar tranqüilo, pois estamos procurando agir da forma mais rápida possível. Em torno de um mês, ele já deve ter oportunidade de se tornar cliente de uma operadora que garanta as mesmas condições da Interclínicas e com toda a segurança que o mercado deve dar", disse o diretor da ANS. Segundo Cardoso, a Interclínicas perdeu, nas últimas duas semanas, 30 mil clientes. "Pedimos a transferência da carteira de clientes porque, além das dificuldades econômico-financeiras, que não podem ser resolvidas em curto ou médio prazo, há o problema da falta de assistência, que é muito grave", explicou ele, acrescentando que "grande parte da rede credenciada" da operadora está se recusando a atender os usuários. "É um quadro de assistência clássico", definiu.Bloqueio - A ANS declarou regime preventivo de direção fiscal na empresa em 18 de outubro, dando início a um levantamento da situação econômica, financeira, jurídica e assistencial da Interclínicas. Com a medida, os bens dos diretores da empresa nos últimos 12 anos foram declarados indisponíveis. "Pedimos a alienação para evitar que aumentassem os riscos daqueles consumidores que não quiseram ou não conseguiram migrar para outra operadora. Vamos dar a eles a segurança de seres atendidos", disse Cardoso.O tamanho da dívida da Interclínicas não foi informada pela companhia ou pela ANS. Os usuários do plano de saúde podem esclarecer as dúvidas pelo Disk ANS, no (0800) 701-9656, ou no site da agência, http://www.ans.gov.br/.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.