Agência de Energia Atômica da ONU faz inspeção no Rio

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e a Agência Brasileiro - Argentina de Contabilidade e Controle (Abacc) começaram hoje a vistoriar as instalações das Indústrias Nucleares do Brasil, em Resende, no Médio Paraíba.Essa é a segunda inspeção do ano e ocorre em meio à polêmica entre a AIEA e o governo brasileiro a respeito da ultracentrífuga de enriquecimento de urânio. A agência internacional ? órgão das Organizações das Nações Unidas ? pede acesso irrestrito ao equipamento criado no Brasil, mas o governo não permite sob argumento de proteção da tecnologia nacional.Os sete fiscais ? dois da agência, três da Abacc e dois da Comissão Nacional de Energia Nuclear ? passaram o dia na Unidade 1, onde é feita a montagem do elemento combustível. Atualmente, os técnicos da INB trabalham para fazer a terceira recarga de Angra 2, quando um terço do núcleo do reator é substituído. Os inspetores verificaram se o material utilizado tem a mesma quantidade e grau de enriquecimento ao declarado à agência pela INB. Eles também fazem auditoria nos documentos, registros contábeis e operacionais. A vistoria continuará nesta quinta-feira.A fábrica de enriquecimento de urânio ? que deve começar a funcionar em outubro ? não foi incluída na inspeção. A obra das instalações não foi concluída e os termos para a vistoria ainda estão em discussão. A visita dos técnicos da AIEA e da Abacc começaram na terça-feira, na usina de Angra 2, e deve terminar na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.